Mulher é agredida após ser impedida de usar banheiro em Tauá; Polícia investiga LGBTfobia


A trancista Milene Pereira de Sousa, 22 anos, foi vítima de agressões e discriminação de gênero após ser impedida de utilizar o banheiro feminino por um homem no local conhecido por Bar dos Espetinhos, na cidade de Tauá.

O caso ganhou repercussão em todo o Estado, foi registrado na 14ª Delegacia Regional de Polícia Civil e está sendo investigado.

Segundo ela, o agressor disse que ela não iria entrar no local porque era um homem devido a roupa que usava no dia, classificada por ele como roupas “masculinas”. A mulher ainda chegou a ser agredida com chutes e socos pelo homem. Polícia investiga denúncia de LGBTfobia.

O crime ocorreu durante uma seresta na cidade. Milene, que estava acompanhada da sua namorada, conta que o homem começou a persegui-la na ida ao banheiro. Conforme ela, o agressor falava: “Você vestida dessa forma tem o direito de usar o banheiro dos homens”. Ela conta que chegou a pegar nos seios e falar: “Eu sou mulher”.

Segundo a trancista, quando ela estava conversando com um amigo, o homem surgiu atrás dela e a empurrou por cima de um carro. “Ele começou a me agredir. Eu estava tentando me defender. O irmão dele chegou na minha frente e disse: “Ei, aí é meu irmão'”. A vítima questionou: "Eu não posso fazer nada? Você não está vendo que ele está me batendo?'”, relata. Ao perceber que o homem estava muito violento e que as agressões iriam continuar, a trancista conta que a sua companheira conseguiu intervir e outras pessoas seguraram o agressor.

A vítima chegou a ser levada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Tauá. Milene teve fratura no joelho, lesões e hematomas por todo o corpo. Nesta quarta-feira, 24, a vítima irá fazer exame de corpo de delito no Núcleo da Perícia Forense de Tauá. A trancista também registrou um boletim de ocorrência no dia das agressões. Um inquérito foi instaurado nessa segunda-feira, 22, na 14ª Delegacia Regional de Tauá, para apurar a acusação de lesão corporal e LGBTfobia.

Wilrismar Holanda/O Povo

Postar um comentário

0 Comentários