Pessoas de 59 e 58 anos vão ser as primeiras vacinadas fora das prioridades, estima governo do Ceará



A vacinação contra Covid-19 entre as pessoas que não fazem parte dos grupos prioritários deve começar ainda em junho com a faixa etária de 58 e 59 anos, de acordo com Sayonara Cidade, vice-presidente da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) do Ceará — órgão que discutiu essa etapa da imunização nesta terça-feira (1º). O governo estadual estima que a imunização dos grupos prioritários da Fase 4 do Plano Nacional de Imunização (PNI) ocorra até o dia 11 de junho. Dessa forma, há estimativa para que a ampliação aconteça no dia 12.

"A gente decidiu concluir a vacina por idade mesmo, como está proposto pela [Comissão Intergestores] Tripartite, que é a forma mais justa de vacinar", explicou Sayonara. Nesta terça, a CIB também optou por manter a exigência do documento que orienta os profissionais da educação ao retorno das aulas presenciais no Ceará.

"Então, terminou esses grupos que agora são prioritários, como os trabalhadores da educação, nós vamos progredir por idade. A gente vai trabalhando com a mesma distribuição, primeiro 59, depois 57, depois 55. Sempre a faixa de progressão por idade", complementa a vice-presidente.

Nesta segunda-feira (31), a prefeitura de Fortaleza revelou que pretende começar a vacinação da população com idade entre 18 e 59 anos a partir da próxima semana. O objetivo foi divulgado pelo prefeito José Sarto (PDT) nas redes sociais.

Os gestores da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) e das secretarias municipais de Saúde aprovaram o início da vacinação escalonada por idade em ordem decrescente de 59 anos a 18 anos, após o cumprimento de 90% das metas das quatro fases prioritárias do Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Com a decisão, os 184 municípios cearenses, responsáveis pela aplicação das doses dos imunizantes, já podem planejar os agendamentos da população geral. A reunião contou também com a participação de membros dos Ministérios Públicos Estadual, Federal e do Trabalho.

Os prazos para aplicação das vacinas ficam sujeitos à disponibilidade de vacinas. “Essa decisão é a mais transparente possível, segura e justa. Termina, assim, uma série de debates de prioridades. É o mais adequado. Criar novos grupos de prioridades pode causar atraso e confusão entre categorias profissionais. O objetivo maior das instituições que fazem a CIB é vacinar todos os cearenses, da forma mais rápida e democrática”, destacou o secretário da Saúde, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho (Dr. Cabeto).

G1CE
Foto: José Leomar

Postar um comentário

0 Comentários