Brasil não vai eleger "um juiz ladrão", diz Ciro sobre candidatura de Moro


Em visita ao Ceará neste sábado (13) depois de retomar a pré-campanha eleitoral à Presidência, o pré-candidato Ciro Gomes (PDT) falou ao O POVO, com exclusividade, sobre a possível entrada do ex-ministro Sergio Moro (Podemos) na disputa pelo Planalto em 2022.

Segundo ele, "o povo brasileiro não vai botar um juiz ladrão e politiqueiro para administrar uma economia como a nossa".

Ciro esteve em Barbalha, município do Ceará, ao lado do governador Camilo Santana (PT), durante inauguração do Complexo Ambiental Mirante do Caldas, que inclui um teleférico.

Ao lado dele, estavam também os quatro nomes do PDT cotados para a sucessão do governador no ano que vem: a vice-governadora Izolda Cela, o secretário de Estado Mauro Filho (Planejamento), o ex-prefeito Roberto Cláudio e o presidente da Assembleia Legislativa, Evandro Leitão.

No encontro, Ciro classificou 'a possível candidatura de Moro como "um factoide" e projetou que ela "vai se desfazer como fumaça.

"Porque os endinheirados do Brasil e os interesses estrangeiros que estão entrando estão desesperados porque não têm votos", afirmou o pedetista, acrescentando: "E vão tentar, tenta um, tenta outro e tenta outro. A bola da vez é a tentativa do Moro".

Ex-juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba, Moro se filiou na última quarta-feira (10) ao Podemos, em ato em Brasília no qual discursou como candidato. O partido trabalha o nome do ex-ministro de Jair Bolsonaro como postulante à sucessão do presidente.

No evento, Moro alternou críticas duras ao ex-presidente Lula e ao atual ocupante do Planalto, mas fez acenos a candidatos postos na chamada terceira via, como o ex-ministro da Saúde Henrique Mandetta, presente ao evento.

O Povo, com informações do repórter Guilherme Carvalho

Postar um comentário

0 Comentários