Tarifa branca de energia será ampliada para pequenos consumidores em 2020

A tarifa branca de energia será estendida a quase todos os brasileiros em 1º de janeiro de 2020. Ela consiste na redução do preço da energia fora do horário de pico, também chamado de horário de ponta.

Nos dias úteis, a cobrança da energia será dividida em 3 faixas de horário: o horário de ponta (tarifa vermelha), do fim da tarde ao início da noite; a faixa intermediária (amarela), uma hora antes e uma hora depois do horário de ponta, e o horário fora de ponta (verde), com custo mais baixo no restante do dia.

Nos fins de semana e feriados nacionais, a tarifa de energia será cobrada pelo valor fora de ponta. O modelo começou a ser usado em 2018, para unidades com consumo superior a 500 quilowatts-hora (kWh). Em 2019, passou a ser aplicado em unidades com consumo a partir de 250 kWh.

A mudança não valerá para unidades residenciais consumidoras da subclasse de baixa renda, atualmente tarifadas em condições vantajosas. Esse modelo de tarifação é aplicado em países como Canadá, Austrália, Itália, França e Reino Unido.

Cada concessionária de energia estabelece o horário de ponta. Para aderir à tarifa branca, o consumidor precisará formalizar a opção na distribuidora a partir de janeiro. A empresa instalará um novo medidor de energia capaz de registrar o consumo nas diferentes faixas horárias.

O consumidor deverá prestar atenção antes de optar pela tarifa branca. Isso porque a adesão envolve mudanças de hábito, como usar aparelhos que consomem mais energia, principalmente o chuveiro elétrico, fora dos horários de pico. Caso o cliente não preste atenção e mantenha o consumo no horário de ponta, poderá fechar o mês com a conta mais cara.

COMO É A ADESÃO

Cada concessionária de energia estabelece o horário de ponta. Para aderir à tarifa branca, o consumidor precisará formalizar a opção na distribuidora a partir de janeiro. A empresa instalará 1 novo medidor de energia capaz de registrar o consumo nas diferentes faixas horárias.

A adesão envolve mudanças de hábito pelo consumidor como usar aparelhos que consomem mais energia, principalmente o chuveiro elétrico, fora dos horários de pico. Caso o cliente mantenha o consumo no horário de ponta, poderá fechar o mês com a conta mais cara. Confira o horário de ponta das principais distribuidoras de energia:

  • Cemig – Minas Gerais: 17h às 19h59;
  • Enel – São Paulo: 17h30 às 20h29;
  • Light – Rio de Janeiro: 17h30 às 20h29;
  • CEB – Distrito Federal: 18h às 20h59;
  • CPFL – São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Minas Gerais: 18h às 20h59;
  • CEEE – Rio Grande do Sul: 18h às 20h59;
  • Celesc – Santa Catarina: 18h às 20h59;
  • Coelba – Bahia: 18h às 20h59;
  • Copel – Paraná: 18h às 20h59.

(com informações da Agência Brasil)

Postar um comentário

0 Comentários