Top Ads

header ads

Comerciantes denunciam boicote por apoiarem Jair Bolsonaro em Crateús

Parte da publicação no Facebook
Uma apoiadora de Fernando Hadadd, candidato a Presidente da República, lançou nota de boicote contra estabelecimentos comerciais de empresários que ela acha que apoiam a candidatura do oponente Jair Bolsonaro no município de Crateús.

Em um perfil na rede social Facebook, uma mulher de nome Antonia Tavares, listou vários comércios de quem ela considera que "defendem o fascismo". "O nosso salário de trabalhador não compra nessas lojas e o seu? (sic)", publicou a internauta. A publicação foi apagada após iniciar a repercussão.

Alguns comerciantes que tiveram nomes de empresas citadas na campanha, compareceram na Delegacia Regional de Polícia Civil em Crateús, para solicitarem providências das autoridades na sexta-feira (12), porém deverão, em posse de prints, retornar para protocolarem a denúncia na segunda-feira (15), pois a Delegacia encontrava-se em regime de plantão.

Apesar da posição de alguns irem em busca das autoridades para prestarem queixa sobre o caso, o empresário Marx Sena que comercializa frango assado na cidade, disse que apesar de ter o nome de sua empresa citada, não pretende entrar com qualquer ação na justiça contra a campanha de boicote.

Marx também afirmou estar ser surpreendido por ter sua empresa citada na lista, pois ele afirma que sua empresa não apoia a candidatura de ninguém, e nada impõe ou já impôs qualquer opção política a seus funcionários e clientes.

Um dos prints exibe um comentário de uma professora que já foi candidata a Prefeita de Crateús pelo PSOL em anos anteriores, chamada Adriana Calaça, que utiliza seu perfil no Facebook para publicar seus posicionamentos políticos, e incentiva o compartilhamento do nome das lojas que ela afirma que "brincam com os trabalhadores, pois a única coisa em que acreditam é no dinheiro".
Comentário da ex candidata a Prefeita de Crateús, Adriana Calaça
Com medo de retaliação com a divulgação da lista de nomes das empresas da "campanha", um dos comerciantes sugeriu a imprensa que a lista não seja divulgada. Outra comerciante ouvida pela nossa reportagem que pediu que seu nome não seja citado, questiona a atitude dos apoiadores do candidato oponente: "Que democracia é essa que eles tanto pregam?".

Repórter: Nathan Loyola