Jumento é eleito um dos 100 melhores prefeitos do País em evento fraudulento

Foto: reprodução

O Fantástico, programa da Rede Globo de TV, divulgou no domingo, 05, o caso de fraudes em premiações dos melhores prefeitos, vereadores e secretários municipais do Brasil.

Segundo a investigação, as principais firmas de divulgação destes prêmios foram a União Brasileira de Divulgação (UBD), de Pernambuco, e o Instituto Tiradentes, de Minas Gerais. Fernando Vieira da Cunha, dono da UBD, falou ao repórter da RBS TV, quando não sabia que estava sendo filmado, que o mercado era lucrativo, chegando a faturar até R$ 50 mil por premiação. Nos eventos, os políticos recebem diploma de “vereador mais atuante” ou “prefeito mais atuante”.

A maioria dos participantes desse tipo de evento usa dinheiro público para pagar pelas inscrições e também gasta diárias pagas pela Prefeitura ou pela Câmara para ir nas cerimônias. Fernando admitiu que o seminário usado como pretexto para entregar a premiação é apenas para disfarçar. Um levantamento do Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul mostra que só no estado o Instituto Tiradentes faturou R$ 116 mil em 2016 e 2017, com três eventos. O Instituto até promove seminários juntamente com a entrega dos prêmios, mas, o Ministério Público do Rio Grande do Sul acha que os seminários são apenas uma desculpa. O procurador-geral de Justiça do Rio Grande do Sul, Fabiano Dallazen, disse que não existem critérios para escolha dos melhores gestores do Brasil. “O critério é, sim, aqueles prefeitos que se dispuseram a custear com verba pública o lucro da empresa que promove esse falso evento”.

O repórter, se passando por assessor político de prefeitura, ainda fez a negociação para a compra de um diploma para um jumento, por nome de Precioso, através de celular. Em pouco tempo, a compra da premiação do “prefeito Precioso” é fechada por R$ 1.480. Na véspera do evento da UBD em Recife, a reportagem entregou o dinheiro ao dono da empresa e recebeu a medalha e o diploma. (Com Repórter Ceará)